[Demonologia] O Doutor Angélico. Aula 2.

Salve irmãos, hoje daremos continuidade aos estudos sobre demonologia. Na aula anterior falamos sobre "A existencia do Demônio". Na aula de hoje veremos a contribuição de São Tomás de Aquino (Doutor Angélico), seguindo a sua suma teológica.

Quem quiser adiquirir a Suma Teológica completa basta acessar o link abaixo:


📲🤳Faça parte do nosso canal no Telegram: https://t.me/euprefirooparaiso

Suma Teológica de São Tomas de Aquino



Na Suma teológica São Tomás aborda os anjos e demônios na parte referente a criação.  Quanto aos anjos é correto dizer que foram criados por Deus conforme o IV concílio de Latrão citado pelo Catecismo da Igreja Católica:
Deus criou conjuntamente, do nada, desde o início do tempo, ambas as criaturas, a
espiritual e a corporal, isto é, os anjos e o mundo terrestre; em seguida, a criatura
humana, que tem algo de ambas, por compor-se de espírito e de corpo. (CIC 328).
São Tomás de Aquino afirmou que os anjos são seres de puro espírito , não possuindo assim matéria, entretanto não são infinitos como Deus e não estão ligados a um corpo físico como o homem, são dotados de inteligência e vontade ( Essas afirmações estão em concordância com o catecismo). Além disso, o Doutor Angélico afirma que os anjos não estão presos a espaço ou tempo, eles não ocupam um lugar visto que não tem corpo (Isso é importante pois será abordado quando  iniciarmos o estudo sobre tentações, obsessões e possessões ). Logo não se pode dizer que um demônio esta em algum lugar, visto que não possui corpo dimensionado, mas que ele exerce influência sobre o lugar.

Os anjos, por serem puro espírito, não possuem afetividade, entretanto são capazes de amar como um ato de vontade. São Tomás afirma que os anjos foram criados por Deus entretanto eles não O viram de imediato, uma vez que se vissem a plenitude de Deus não conseguiriam resistir e não escolheriam a Deus por liberdade. Assim sendo não haveria amor. Logo Deus revelou-se aos anjos de maneira indireta e permitiu que estes escolhessem corresponde-lo como um ato de amor.

Sabe-se que naturalmente alguns anjos não corresponderam e optaram pela desobediência. Não se sabe a natureza do pecado dos anjos, entretanto, visto que estes não possuem corpo, não lhes é possível cometer pecados ligados a carne, logo, dentre os pecados conhecidos pelo homem, apenas a soberba e a inveja podem ter sido a causa para Satanás e seus demônios terem ido contra Deus.


A soberba de querer ser igual a Deus, por sua vez, não se dava pelo fato de querer sê-lo por natureza, pois uma vez que o Diabo é inteligente e sabe que isto é impossível, dar-se no entanto pelo desejo de ser igual a Deus por semelhança, buscando ser Deus por sua própria natureza sem contar com o dom sobrenatural da graça, movido por sua soberba virou as costas para o Criador.

O outro pecado de Satanás é a inveja. Inveja pelos outros anjos designados a ver a face de Deus, uma vez que ele não pode, e inveja do homem. Entretendo contra os anjos ele nada pode fazer, pois estes já não podem pecar, então ataca o homem movido por sua inveja.

Deus permite a tentação.

A tentação exercida contra o homem tem a permissão divina de Deus:
A permissão divina da atividade diabólica é um grande mistério, mas nós
sabemos que Deus coopera em tudo para o bem daqueles que o amam"(Catecismo
da Igreja Católica em seu número 395)
Deus poderia ter impedido esse tipo de ação, mas claro, trata-se de um enigma de fé, entretanto sabemos que até mesmo Jesus foi tentado, e vê-se na oração do Pai-nosso que Jesus não diz "Livra-nos da tentação" mas sim "não nos deixeis cair em tentação", deixando claro que a tentação vai acontecer, cabe ao homem sucumbir a ela.

O artigo 3 fala sobre a dor existente nos demônios. Eles sofrem. Mas, como sofrem se não possuem corpo? "Enquanto paixões, o temor, a alegria, a dor e atos semelhantes não podem existir nos demônios, pois são próprios do apetite sensitivo, que é uma faculdade que supõe um órgão corporal." Santo Tomás continua explicando que:
Sabe-se que os demônios quereriam que muitas coisas que existem não existissem, e que existissem muitas coisas que não existem, pois, invejosos, quereriam a condenação dos que foram salvos. Daí se deve dizer que eles têm dor, até porque é da razão da pena ser contrária à vontade. Ademais, se os demônios estão privados da felicidade natural que podem desejar, e em muitos deles, encontra-se inibida sua vontade pecadora
De modo que algumas ideias são insuportáveis a eles, como por exemplo, o nome da Virgem Santíssima. Eles ficam desnorteados à simples menção dele e, com isso, sofrem. Este dado é importantíssimo para se entender alguns gestos e palavras proferidos durante o exorcismo.

Por fim, o artigo 4 que trata do lugar da pena dos demônios. O Doutor Angélico explica que "por sua natureza, os anjos estão entre Deus e os homens" e que "há dois lugares para a pena dos demônios: um, por causa da sua culpa, que é o inferno; outro, por causa de suas ações sobre os homens, e assim lhes é devida a atmosfera tenebrosa."

Ele instrui que, da mesma forma que existem anjos bons no céu servindo às almas santas, existem demônios cuja missão é atormentar ainda mais os que induziram ao mal.

É possível dizer que "o lugar não é de pena para o anjo ou para alma como se os afetasse modificando-lhes a natureza, mas como se lhes afetasse a vontade, contristando-a. Tanto o anjo quanto a alma percebem que estão num lugar que não corresponde à própria vontade."

Existe, portanto, uma área da criação que foi entregue por Deus aos demônios para que pudessem agir. Trata-se de um mistério da providência divina. Contudo, Jesus Cristo veio ao mundo justamente para tirar esse domínio dos demônios e verdadeiramente salvar o homem.

Continuaremos o assunto falando sobre a tentação na próxima postagem.

Veja as próximas aulas aqui:

Postar um comentário

0 Comentários